adocoes

O projeto ADOÇÕES tem por objetivo o desenvolvimento de uma plataforma de apoio ao processo de adoção de crianças e adolescentes. O projeto será concebido de forma a permitir o desenvolvimento de soluções para fases específicas do processo de adoção, de forma incremental, integrando-se, desde que tecnicamente viável, a soluções já existentes, como as disponibilizadas pelo Conselho Nacional de Justiça, Poder Judiciário e Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul.

A solução a ser desenvolvida pela AGES será composta por um aplicativo para incentivar a adoção de crianças e adolescentes e uma console de gestão de dados.

O projeto adotará tecnologias inovadoras e disruptivas focando no aprendizado por parte do time de alunos bem como na produção de uma solução eficiente e escalável.

TIME:

Marlon Pereira da Silva

Rafael Companhoni

Lucka Praisler de Souza

Bruno dos Reis Cardoso

Juliana Torres

Rafael Barni Ritter

Marcus Vinícius Kuquert

Marco Aurélio Z. Coimbra

Lucas Hidemy Sakaguti Soares

Larissa Fiorini Martins

José Ricardo Di Salvo

Harrison Kempka

Gustavo Jacob de Oliveira

Gabriel Pinto Machado

Gabriel Ferreira Kurtz

Carlos André Sousa Rodrigues

STAKEHOLDER:

  • Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul
  • Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul
  • BEPiD (Brazilian Education Program for iOS Development – Convênio Apple/PUC-RS/Instituto Eldorado)
  • Cidadãos que desejam adotar

AGRADECIMENTOS:

 

Existem hoje, conforme dados do Cadastro Nacional de Adoção (CNA), aproximadamente, 600 crianças e adolescentes aptos à adoção no nosso Estado e, em contrapartida, no Brasil, quase 38.000 pessoas habilitadas para recebê-los, sonhando com a formação de uma família. A parceria estabelecida com a Pontifícia Universidade Católica (PUCRS), o Tribunal de Justiça e o Ministério Público do Rio Grande do Sul para a criação de aplicativo de computador para acesso remoto, em especial, para telefones celulares, possibilitará a visualização de imagens (vídeos, fotos e correspondências) dos acolhidos aptos à adoção, facilitando e estimulando a sua colocação em família substituta, efetivando o seu direito constitucional à convivência familiar e comunitária. O empenho da equipe de professores e alunos da AGES, notadamente do Eduardo Arruda, da Alessandra Dutra e do arquiteto de software Cassio Trindade, bem como do professor Franz Figueroa do Bepid e da professora Soraia Raupp Musse, esta idealizadora do Projeto, com o apoio do Diretor Fernando Luís Dotti, está sendo fundamental na concretização desta plataforma, trazendo a certeza de que muitas crianças e adolescentes terão o seu sonho de ter uma família realizado! De se parabenizar, também, o espírito inovador do Poder Judiciário gaúcho, representado pela juíza corregedora Andrea Russo, pelo juiz de Direito Marcelo Mairon Rodrigues e pela assistente social Angelita Camargo, o qual busca solução alternativa para a efetivação dos direitos dos infantes e jovens que já foram seriamente vitimizados. Ressalta-se o reconhecimento ao outro grande idealizador do Projeto, Nilson Ayala, sempre presente para opinar e incentivar o seu aperfeiçoamento. O Ministério Público está muito honrado com a oportunidade de participar do Projeto em apreço, com a convicção de que diversas adoções serão viabilizadas por esta grandiosa e auspiciosa parceria!”

Cinara Vianna Dutra Braga

Promotora de Justiça da Infância e da Juventude de Porto Alegre

 _______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

“O aplicativo ADOÇÕES será um marco na busca ativa de famílias para muitas crianças e adolescentes que hoje não têm perspectiva de serem acolhidas em um novo lar. As dificuldades enfrentadas são muitas, porém ideias criativas e inovadoras, como as que vem surgindo com este maravilhoso projeto, com certeza trarão luz, visibilidade e resultados promissores para tão grande problema social. Diante isso, só tenho agradecimentos a todos os envolvidos neste grandioso e desafiador projeto!”

Andréa Rezende Russo

Juíza-Corregedora e Coordenadora da Infância e Juventude do TJRS